Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território Bacia do Jacuípe

Várzea do Poço

Cidade de Várzea do Poço

Gentílico: varzeapocense

População (IBGE/2010): 8.661

PIB Per Capita: (IBGE/2014): 6.287,7

Área Territorial: 206,478 km²

Prefeito: Manoel Carneiro Filho (PC do B)

Vice-Prefeito: Sodeval Ribeiro da Cunha (PSB)

Site: http://www.ba.portaldatransparencia.com.br/prefeitura/varzeadopoco/

Histórico

A cidade de Várzea do Poço foi fundada nos terrenos de uma fazenda que pertencia ao Senhor Joaquim Pemba, nesse mesmo terreno existia uma lagoa que deram o nome de “Várzea” (campina cultivada). Com o passar dos anos foram chegando pessoas de outras localidades, a procura de terras para desbravá-las. Mais tarde, depois do desbravamento na mesma localidade já denominada Várzea, surge o respectivo “Poço” (cavidade que tem água), daí ficou conhecida como Várzea do Poço.

A partir de então foram multiplicando as condições na fazenda, em setembro de 1920 Felipe Cassiano e Afrânio edificaram as primeiras residências. Em seguida, Joaquim Pemba, sua família e outros foram construindo mais casas. Muitos contribuíram para o aglomerado humano, era o arraial que se formava, cheio de esperança no futuro. Como de costume a própria iniciativa antecipava-se ao poder público, sem nenhum planejamento, porém livre e espontânea. Mas o que era importante, a localidade crescia como um comércio ainda insipiente construído mais de casas de pau-a-pique, ranchos e pequenas vendas que revendiam aguardente e até mesmo atendiam viajantes. As notícias iam espalhando-se trazendo retirantes de outras localidades para o povoado que se formava.

Com o crescimento da população aconteceu a primeira feira livre em 1929. O saudoso Juvenal Cerqueira Sampaio (ex-prefeito) saiu avisando nas fazendas e casas da região que iria acontecer a primeira feira na sexta-feira (dia mantido até hoje), debaixo de um pé de Calumbi na praça principal. Por essa razão ficou conhecida como a “feira do pau”, mas a feira do pau não durou muito tempo, o Sr. Ariosto Soares junto a outros cidadãos tiveram a criatividade de construir um estabelecimento chamado “Barracão”, era um telhado de madeira arredondado que além da feira servia de abrigo para os tropeiros e outras pessoas que vinham com cargas, neste mesmo período foi construída também a primeira bodega pelo Sr. Manoel Guilhermino, conhecido como Lulú.

Logo e seguida surgiram também os meios de comunicações. No período de 1942, a “Sociedade Cultural de Campo Alegre” com a cooperação de todos, organizaram um serviço de alto-falante tendo como primeiro locutor, Valdomiro Ramos.

Em 1948 foi realizado o primeiro carnaval no depósito do farmacêutico Ariosto Soares, onde todos compareceram fantasiados. O que mexeu mesmo com os moradores foi o aparecimento do primeiro do primeiro rádio, em 1949, comprado por três moradores do arraial. Esse era instalado num cubículo, situado na Praça Edvaldo Valois, mas como a curiosidade de todos era imensa, o quartinho não comportava muita gente, foi preciso marcar um horário para os que quisessem ouvi-lo e admirá-lo. Neste mesmo ano, foi realizada uma grande festa no barracão com desfiles de rainhas, princesas e outros espetáculos para a inauguração da luz a motor, tendo como responsável o Sr. João Motorista que ligava e desligava o motor e organizava também as brincadeiras infantis e o futebol.

Com todos esses festejos, Várzea do Poço foi crescendo, resolveram então mudar o seu nome para Nova Floresta, esse durou pouco tempo, encontraram outro nome, o de Campo Alegre, que durou aproximadamente 4 a 5 anos.

Tudo isso foi suficiente para que as autoridades da época pela Lei Estadual nº 628 de 20 de dezembro de 1953 elevasse o arraial a povoado de Campo Alegre e elevado à categoria de cidade em 1962, desmembrando do município de Miguel Calmon com a denominação de Várzea do Poço. Na mesma época, começou a expandir-se no setor comercial, surgindo farmácias, padarias e outros estabelecimentos comerciais. No mesmo ano, é empossado o primeiro prefeito eleito pela Arena (Aliança Renovadora Nacional), o Sr. Antônio Lopes Filho, que se tornara o representante legítimo do povo.

Localização e Geografia

A cidade está localizada na 13ª microrregião de Jacobina e a mesorregião do centro norte baiano, distante 331 km da capital baiana, sendo seu acesso pela BR 324 e BA 417. Limitando-se com os municípios de Serrolândia, Mairi, Várzea da Roça, Piritiba, Miguel Calmon e Jacobina.

Com clima semiárido e sujeito a passar longos períodos de estiagem, o município está inserido na área do denominado “Polígono das Secas”.

Seus solos são, tipicamente, latossolos álico ou distróficos e argilosos eutróficos, que sustentam uma vegetação tipo contatos cerrado-caatinga e caatinga-floresta estacional.

O relevo vai de tabuleiros interioranos até os patamares de vertente, cortado, no extremo sul da área, pelo Rio Jacuípe.

Principais Atividades Econômicas

Sua economia está baseada na agricultura familiar, produção artesanal, estabelecimentos comerciais, pecuária, laticínio, postos bancários e instituições públicas. Destacam-se o Laticínio Boa União, a Fábrica de Polpa de Frutas, as fábricas de doces de leite, fábricas de bonecas de pano, Casa do Mel de Laginha e várias olarias que dão oportunidade de emprego para moradores da localidade.

Manifestações Populares e Culturais

As características culturais estão compreendidas em festas de reis, bandas de pífano, samba de roda, carnaval, semana cultural, festejos juninos, aniversário da cidade, vaquejada, festas de padroeiros entre outros. Tendo maior destaque o Carnaval, o Aniversário de Emancipação Política da Cidade e Semana Cultural que acontece no mês de julho, e a Festa de Padroeiro de São Francisco de Assis, realizada em outubro.

Potenciais Turísticos

Rio Jacuípe: O Rio Jacuípe é uma das maiores riquezas naturais do município, pois ele corta várias fazendas da região. Para preservar mais esse patrimônio foram feitas várias barraginhas, uma delas é a barraginha de Divo, que fica a 13 km da cidade, e muito visitada. As pessoas, tanto do município quanto das cidades vizinhas, costumam passar o dia ou acamparem por lá com suas famílias.

Clube de Campo: O Clube de Campo Alegre está situado na Avenida Antônio Carneiro, foi fundado no ano de 1986, é uma sociedade sem fins lucrativos. Uma área de lazer com piscinas campo society, campo de vôlei, um espaço com placo e pista de dança, funcionando aos finais de semana, aberto à comunidade e visitantes.

MUNICÍPIOS CONSORCIADOS

CONTATOS

Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território Bacia do Jacuípe

Praça Joaquim Machado, 216 A, Centro, 44645-000, Capela do Alto Alegre - BA

(75) 3690 - 2229 / (75) 98146 - 6493

ascom@consorciojacuipe.ba.gov.br

OUTRAS NOTÍCIAS

Copyright 2018 - Todos os direitos reservados.
Nobili - Desenvolvimento Web & Comunicação